18 de agosto de 2017

Cancelamento do passeio das poldras


Contra a vontade da Montis iremos cancelar o passeio de amanhã.
Ponderámos não respeitar a determinação do governo porque a resistência a decisões iníquas é um dever, mas não queremos pôr os participantes na condição de criminosos por darem um passeio, que seria a consequência de não respeitar o despacho conjunto do Senhor Primeiro Ministro e a Senhora Ministra da Administração Interna que interdita qualquer circulação nos espaços florestais como tal definidos no Plano Municipal de Defesa de Floresta contra incêndios, que abrange a totalidade de cinco distritos e muitos concelhos nos restantes, e que no caso de Vouzela são perto de 70% do território.
O despacho é claro e determina que entre as duas horas da tarde de hoje e as 24 do dia 21, é determinado o seguinte:
"d) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos PMDFCI, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessam;"
É certo que até ao momento não temos notícia de ter sido cortado o trânsito em nenhuma das autoestradas que atravessam os espaços florestais do país, neste caso, a A25, mas não podemos ignorar a responsabilidade que nos cabe, argumentando que os concessionários das auto-estradas, ao não darem cumprimento ao despaço conjunto, também estão a transformar todos os automobilistas que as usam em criminosos.
henrique pereira dos santos

16 de agosto de 2017

E assim se passou a noite no Carvalhal.

Na noite no carvalhal do passado dia 12 para dia 13, houve muito mais que a dormida e as estrelas.


O dia iniciou-se com a manhã a ser dedicada à intervenções no carvalhal. O grupo focou-se na limpeza dos rebentos ao longo do troncos dos carvalhos para continuarmos a promover o seu crescimento vertical o mais rápido possível. 

 
 Antes e depois.

Com as temperaturas altas, chegou a altura da merenda e do descanso à sombra do nosso carvalhal. Após o repouso, o grupo percorreu o trilho da Cabrieira, um trilho circular pelo interior da propriedade.

O grupo (com o Nuno Borges em falta).

Às 16h, iniciámos o percurso dos carvalhos, com uma duração de cerca de 3h a um ritmo calmo que permitiu irmos discutindo o que víamos. E sempre acompanhados pelas amoras que surgiam abundantemente nas bermas dos caminhos.



 O jantar foi no miradouro do carvalhal com o pôr-do-sol pintando o céu com as suas cores.


E no miradouro permanecemos, instalados nos sofás naturais que o miradouro nos disponibiliza, para observar as Perseidas, o ponto alto da chuva de meteoros. 

Do sofá para a cama, a caminhada nocturna fez-se desde o miradouro até ao lameiro rodeado de carvalhos que nos hospedou e proporcionou uma noite tranquila, com o sol a aparecer sorrateiramente já depois do grupo estar a pé, para o ver surgir.

Acampamento pela manhã, com o sol a surgir na copa dos carvalhos.

Antes da despedida, ainda fizemos mais umas paragens pelas redondezas do carvalhal de Vermilhas.
 . 

No próximo dia 10 de Setembro teremos o dia no Carvalhal para quem quiser conhecer o carvalhal de todos nós e as suas redondezas.

14 de agosto de 2017

Passeio pelas poldras, carvalhais e muito mais.

O passeio da biodiversidade de Agosto será em Fataunços, Vouzela, próximo sábado, dia 19.


O início está marcado para as 10h no Jardim de Fataunços, junto à junta de freguesia (Google maps: https://goo.gl/h3EriF ; GPS: 40 º 43 ' 31.85 " N; 8 º 4 ' 45.68 " O).




Ao longo do passeio teremos oportunidade de ver várias formas de ocupação de solo e entender as suas transformações.



Iremos atravessar povoações, os seus campos agrícolas, a ribeira de Ribamá (onde nos poderemos refrescar) e áreas de bosques e florestas.



O percurso terá um total de 5 Km de dificuldade média (o percurso é maioritariamente em caminhos com boas condições, geralmente plano, possuindo algumas subidas que apesar de não muito extensas possuem uma inclinação considerável).


As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através de montisacn@gmail.com ou 926277545 (Luís).

Apesar de grande parte do percurso ser efetuado à sombra, é aconselhado aos participantes se fazerem acompanhar com água e chapéu.

11 de agosto de 2017

Juntem-se a nós neste dia/noite de sábado

amanhã, sábado, dia 12, iremos passar perto de 24 horas nos carvalhais da Serra do Caramulo, e ainda está a tempo de participar.



Programa:

10h00 – Encontro na aldeia de Vermilhas
10h15 – Inicio de voluntariado na propriedade da Cabrieira
13h00 – Almoço pic-nic
14h30 –  Sesta e tempo livre
16h00 – Caminhada circular - Percurso dos Carvalhos (aprox. 4 Km) com visita à propriedade de Dumação
18h30 - Tempo livre / montagem das tendas
20h00 – Jantar pic-nic
21h00 – Pôr do sol
22h00 – Caminhada circular, noturna, pelo trilho da Cabrieira (visita miradouro para observação de estrelas)
00h00- Acompanhamento até Vermilhas dos participantes que não acamparem
...
6h00 – Alvorada
7h00 - Pequeno almoço e tempo livre
8h00 – Regresso a Vermilhas

Nota 1: O programa é totalmente flexível, podendo os participantes chegar mais tarde, ir embora mais cedo e usar os tempos livres para fazerem as atividades que entenderem.

Nota 2: A Montis assegura a base do pic-nic (pão, água, fruta, queijo, bôlas), podendo os participantes trazer alguma coisa para completar a merenda, como um bolo ou outra coisa que se lembrem.

Todos os interessados em participar devem enviar a sua inscrição (nome, nº de CC e data de nascimento) para o e-mail montisacn@gmail.com ou através do 926 277 545.

É uma atividade diferente, gratuita e que tem tudo para correr bem

10 de agosto de 2017

O campo de trabalho em vídeo / The workcamp in video

O I campo de trabalho da Montis decorreu nos dias 17 a 23 de Julho de 2017, no baldio de Carvalhais, São Pedro do Sul, com o objetivo de, gradualmente, melhorar as condições para a flora e fauna. 

E o vídeo do Rui Barreto em baixo demonstra o que foram estes 7 dias de trabalhos, mas também de convívio e várias atividades lúdicas e culturais. 

On the week from the 17th to the 23rd of July Montis hosted its first International Work Camp. It was been held in the Carvalhais common land, in São Pedro do Sul, Portugal. The interventions performed during this camp aim to gradually improve this land's conditions for the local flora and fauna.

And the video from Rui Barreto shows what this 7 days has been, with time for interventions in the property but also with several recreational and cultural activities.


3 000 e resto


A Montis comunica muito mal, tem muito poucas ligações às redacções dos jornais, tem uma capacidade limitada de mobilização, não tem ainda um site, comunica através de mail, um blog, uma página e um grupo de Facebook.
Tem tido, no entanto, uma preocupação central: a de manter os seus sócios informados sobre o que é feito do dinheiro que nos entregam.
Nem sempre conseguimos explicar tudo certinho, nem sempre as coisas correm bem, mas a verdade é que pouco mais de três anos depois da sua fundação a Montis, com todos os problemas de gestão que tem, tem feito muito mais do que imaginámos há três ou quatro anos.
A nossa página de Facebook tem agora 3000 seguidores, dez vezes mais que os nossos 310 sócios, a maior parte dos quais resultantes de um crescimento orgânico e lento, sem grandes recursos empenhados em outras coisas que não sejam a gestão de terrenos.
Duas campanhas de crowdfunding com sucesso, com valores que estão muito acima da média das campanhas de crowdfunding em Portugal.
O envolvimento num projecto LIFE para a criação de uma rede europeia de espaços privados dedicados à conservação, que durará os próximos dois anos e esperamos que nos possa trazer novidades em matéria de trabalho em rede para a gestão privada da conservação da natureza e comunicação.
O envolvimento na preparação de uma outra candidatura LIFE, dedicada ao voluntariado, que mesmo que não venha a ser aprovada já é um grande avanço no trabalho em rede com organizações diferentes e que se podem "iluminar mutuamente".
O envolvimento numa outra candidatura, chumbada, para o financiamento de uma rede dedicada ao pastoreio enquanto instrumento de gestão do território, que provavelmente será a base da formalização de uma organização com esse objectivo e de eventuais candidaturas que nos permitam pensar num maior impacto do pastoreio com objectivos de conservação.
A participação em várias iniciativas de terceiros - este Sábado estaremos a apresentar o trabalho da Montis numa acção de campanha eleitorial do Bloco de Esquerda, em Carregal do Sal, tal como fizemos com o PAN nas últimas legislativas e faremos com qualquer partido ou candidatura que ache útil discutir o que fazemos, dando-nos oportunidade para apresentar publicamente o que fazemos (recusamos todos os vários convites para fazer figura de corpo presente em qualquer acção política) - em que procuramos aprender e reforçar a ideia de que é possível, às pessoas comuns, fazer mais que o que pensam a favor da gestão sustentável do território, sem estar permanentemente dependentes do Estado.
Aprovação de uma candidatura PDR 2020 que nos permitirá intervir de forma mais consistente numa das propriedades em que temos tido, até agora, menos capacidade de intervenção, procurando articular com a candidatura LIFE em curso para ter o maior efeito demonstrativo possível.
Mas, acima de tudo, o que mais nos orgulha: o facto de, com altos e baixos, termos mantido um conjunto de iniciativas, dirigidas aos nossos sócios, mais lúdicas e pedagógicas, como os passeios (que se têm auto-financiado, apesar de gratuitos, porque os donativos dos participantes o têm permitido, evitando desviar dinheiro das quotas que é fundamental para a gestão dos terrenos), ou envolvendo maior colaboração, como nas acções de voluntariado, tudo isto em paralelo com resultados concretos, visíveis e escrutinados na gestão de terrenos com objectivos de conservação.
Vamos tentando dar o máximo de informação sobre a gestão dos terrenos para manter em aberto discussões racionais sobre opções de gestão que são, inevitavelmente, menos consensuais, como o uso de fogo controlado.
Neste fim de semana, e no mês que vem, vamos repetir uma acção a que damos muita importância: a noite no carvalhal, e no mês que vem, o dia no carvalhal, para que todos os que queiram avaliem como está a evoluir a propriedade que foi comprada com o dinheiro que conseguimos juntar no primeiro crowdfunding que fizemos.
Há coisas menos visíveis, como o nosso acordo com a Vieira de Almeida, um grande sociedade de advogados que nos apoia e que achamos muito importante para garantir a transparência do que fazemos, tal como a recente contratação de apoio contabilístico profissional, com os mesmos objectivos de rigor e transparência.
A sustentabilidade da Montis está longe de estar assegurada, é certo, a comunicação é uma fragilidade a que vamos procurar dar resposta nos próximos tempos, a melhoria das condições de trabalho de quem nos apoia profissionalmente é uma preocupação grande e mal resolvida ainda, enfim, há muitas razões para ter preocupações com o futuro da Montis, mas quanto ao passado, por enquanto curto, pensamos que podemos estar descansados: temos feito coisas úteis.